segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

XADREZ

AH...para lembrar o make...

eu lembrei de um cartaz que tenho comigo...aqui, parece mais a inspiração do make...

“O Sétimo Selo” por Herchcovitch
Uma das obras primas de Bergman reflete questionamentos religiosos do diretor. De 1956, O Sétimo Selo é baseado na peça O Retábulo da Peste que Ingmar Bergman escreveu para seus alunos da Escola de Teatro de Malmö. E li o texto e estudei na Escola de teatro da Bahia. Eu sou fã de Bergman!!!



"- O senhor - respondi - falou da vontade. Nos contos de Mabinogion, dois reis jogam xadrez no alto de uma colina, enquanto embaixo seus guerreiros combatem. Um dos reis ganha a partida; um cavaleiro chega com a notícia de que o exército do outro foi vencido. A batalha de homens era o reflexo da batalha do tabuleiro.
- Ah, uma operação mágica - disse Zimmermann.
Respondi-lhe:
- Ou a manifestação de uma vontade em dois campos diferentes."

Uma das obras primas de Bergman reflete questionamentos religiosos do diretor. De 1956, O Sétimo Selo é baseado na peça O Retábulo da Peste que Ingmar Bergman escreveu para seus alunos da Escola de Teatro de MalmöGuayaquil, de Jorge Luis Borges, in Obras Completas, volume 02, pág 475



Alexandre faz um execelente desfile, inspirado numa obra atemporal , não é apenas um belo trabalho de estilista, criando, pesquisando e executado as roupas, mas ele consegue articular os diversos temas na imagem de passarela, das questões que mais pertubam o homem. Deus existe? Para onde vamos? O filme retrata o medo do juízo final na Idade Média, o adultério, a hipocrisia da Igreja Católica, a peste negra, além de outros temas de maneira cômica e despretensiosa,com a inteligência de Bergman. Alexandre se junta ao diretor para resgatar os temas que sempre pontuaram a sua carreira. Boas conquistas!!!

Diretor de desfile: Roberta Marzolla
Produtor executivo: Alexandre Herchcovitch Stylist: Maurício Ianês
Make up & hair: Celso Kamura
Trilha sonora: Max Blum


Aproveite e olhe as caveiras de ALEXANDER McQUEEN MEN'S FW 2010 FULL SHOW

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

»FIRST SPRING« A FILM BY YANG FUDONG FOR PRADA SPRING/SUMMER 2010

Oestudio apresenta desfile em passarela virtual no SPFW- 2010 INVERNO



Lino VillaventuraDesfiles | São Paulo | Inverno 2010 Lino Villaventura

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Alma!

Alma from Rodrigo Blaas on Vimeo.


Written and Directed by: Rodrigo Blaas
Produced by: Cecile Hokes
Music: Mastretta
Art Director: Alfonso Blaas
Lighting Supervisor: Jonatan Catalán
Character Technical Supervisor: Jaime Maestro
Character Design: Bolhem Bouchiba, Carlos Grangel,
Sergio Pablos, Santi Agustí
Animation: Daniel Peixe, ManueBover, Remi Hueso
Sound Design: Tom Myers and David Hughes
Post Production Coordinator: David Heras
Special Thanks: Keytoon, Next Limit, UserT38
Full credits: almashortfilm.com

moda brasileira no SALÃO PRÊT-À-PORTER PARIS…BNPRESS mostra todo o fundamento do evento



Pela segunda vez o Fashion Rio Business – fusão dos principais eventos de moda brasileira realizados pelo Sistema FIRJAN – marca presença na próxima edição do Salão Prêt-à-Porter Paris, cujo tema é a valorização da nova geração da moda global, conceito que destaca as cidades do Rio de Janeiro, Paris, Los Angeles, Tóquio e Estocolmo. As grifes que irão desembarcar em Porte de Versailles, de 30 de janeiro a 2 de fevereiro, são as cariocas Alessa, Homem de Barro, Kylza Ribas, Caroline Rossato e Dayrell Bijuterias e a baiana Marcia Ganem.
A participação do Fashion Rio Business, que acaba de conquistar um espaço dentro do segmento mais criativo do evento, o Atmosphère’s, dá continuidade às ações da parceria exclusiva oficializada ano passado pelos presidentes do Sistema FIRJAN, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, e da Federação Francesa do Prêt-à-Porter Feminino, Jean-Pierre Mocho. “Espero que este acordo traga mais competitividade. A aproximação com o Salão de Paris é uma grande oportunidade para a moda brasileira atrair um número ainda maior de compradores estrangeiros”, vislumbra Eduardo Eugenio.

O objetivo de promover um intercâmbio de experiências e aproximar os dois eventos a partir de palestras, seminários, mostras e desfiles teve sua primeira ação em setembro de 2008, quando sete grifes brasileiras exibiram suas coleções no Salão de Paris e atraíram o interesse de 180 compradores de todas as partes do mundo.



Em janeiro de 2009 foi a vez de o Fashion Rio e o Fashion Business receberem a Federação Francesa do Prêt-à-Porter Feminino, que apresentou o desfile das grifes Valentina Vox, Margareth & Moi e Lefranc Ferrant. Ao visitar as instalações do evento ao lado de Eduardo Eugenio, Mocho identificou nas grifes Alessa e Homem de Barro a representação da criatividade e da diversidade brasileira, o que o levou a convidá-las pessoalmente para se juntarem ao espaço Fashion Rio Business na próxima edição do salão francês.

Além de ser representado pelo Sistema FIRJAN, a participação do Fashion Rio Business no Salão Prêt-à-Porter em Paris conta com o apoio da ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção) e da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos).

O charme brasileiro

A coleção outono-inverno 2009 de Alessa Migani, que pela primeira vez estará num salão de moda internacional, apresenta um clima bem alegre e florido a partir do tema “semear e colher”. “Este convite para participar do Salão de Paris foi a melhor colheita”, declara a estilista que exporta há seis anos, desde que lançou sua marca, para Europa e EUA.

O produto de artesanato em escala industrial é o ponto forte da marca Homem de Barro, dos estilistas Marcio Duque e Aline Rabello, no mercado desde 2002. O outono-inverno 2009/10 mostra, além da moda feminina, três linhas: lingerie, infantil e bolsas, que são produzidas a partir do reaproveitamento de todos os tecidos. “Já exportamos, por meio de representantes, para Rússia, Itália e Japão. Estamos otimistas em relação à experiência de participar de um salão de moda francês”, declara Marcio Duque.

A baiana Marcia Ganem garante que o investimento para ir ao Salão de Paris vale à pena: “É a cidade onde as pessoas buscam novidades e o evento tem propostas inovadoras em seus muitos pavilhões”. Brasileiríssima, sua moda mescla elementos tribais com um design contemporâneo. “Desde 2001, quando estreei no Fashion Rio, ganhei projeção nacional e internacional incorporando o artesanato à moda”, conta a estilista que já exporta para Europa, países árabes e USA.

As estampas e as cores de Kylza Ribas garantem o charme de seu estilo. “Acredito no evento não só como projeção internacional, mas também como valor agregado ao mercado nacional”, explica. Ela exporta desde 2006 para Atenas, Paris, Londres, Nova York e, em 2008, as exportações corresponderam a 30% de suas vendas.
Com sete anos no mercado, Caroline Rossato aposta nas calças compridas de couro com bordados em pedras, metais e retalhos do material. “Um estilo rock atual com um toque western chique”, define. Na primeira vez que participou do Salão, exportou para Japão, Senegal e Grécia o equivalente a 20% de sua produção. “Estamos em um mundo globalizado e minha visão segue o comportamento mundial. Estou otimista quanto às vendas”, diz.
Fabiana Dayrell, estilista da Dayrell Bijuterias que participou da estréia do Fashion Rio Business no Salão de Paris em setembro de 2008, tem opinião formada sobre o evento: “Os visitantes vão com o real intuito de comprar e os compradores se interessam pelas bijuterias rústicas que faço com materiais naturais como osso, chifre, madeira e pedras. Na última edição vendi para Japão, Turquia, Grécia, Bélgica e Suíça. Os compradores internacionais buscam a nossa brasilidade e é nela que temos que investir”, conclui.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Desfile Ronaldo Fraga inverno 2010- Pina Bausch estrela desfile de Ronaldo Fraga

Pina Bausch Vollmond extraits répétitions

Eu amo Pina...


o desfile foi lindo!MAracatu, festa de São João, cultura popular...Caetano na trilha- multicultural.



"Este estranhamento que foi a obra de Pina Bausch, sua figura, sua forma de conceber... É um lugar em que me sinto confortável", complementa, palavras entrecortadas por uma gargalhada. "É o caminho que procuro. Se tenho conquistado, não sei." Ronaldo Fraga

Casting também sem rosto no Maison Martin Margiela Haute Couture Fall Winter 2009

DESFILE : Samuel Cirnansck - TEMA: DESEJO - 1750 INGLATERRA PARA SÃO PAULO 2010

O melhor desfile do segundo dia do SPFW: Samuel Cirnansck. O criador com o olhar de investigador: Sherlock Holmes faz a platéia se transportar para seu mundo de fantasia, surreal, misturando realidade e ficção, épocas distintas, culturas distintas.
A casa e seus objetos. Vestimos a casa, a casa se veste da roupa e dos acessórios. Roupa- corpo-casa. Dramático, o estilista/ criador traduz com propriedade, as nuances enigmáticas de um bom espetáculo do desfile de moda: provocar e apaixonar. As imagens do desfile continuam como ressonâncias dentro da nossa memória, como um sonho.
A moda além da apresentação de meros produtos vendáveis, assim no desfile de Samuel, vende-se sonhos, desejos. Um convite a imaginação. O desfile é espetáculo com narratividade, clímax (entrada da fusão da mesa/roupa), as sensações são provocadas – dá uma vontade de tocar para sentir/ tocar para dormir e sonhar.
Um desfile com reiteração: desde a escolha dos elementos da cenografia, iluminação, adereços até a edição dos looks. As roupas um estudo a parte, alfaiataria, mescla de fluido e tecidos mais pesados. Volumes e uma silhueta mais seca, detalhes nos bordados, aviamentos. As “danças sensoriais” nos olhos parece teatro, parece cinema, parece figurino, parece uma instalação, mas é moda. Um mix de John Galliano, Gareth Pugh e Viktor &Rolf (coleção 2005-2006). Além abajures e “mulheres” do escultor Alberto Vieira, será??? Dalí, Elsa Schiparelli, Christophe Coppens.
O estilista, Samuel se posicionando como um criador, criativo e sensível na moda brasileira. E, somos brindados com sua loucura.





A inspiração para Samuel foram as criações do designer Thomas Chippendale, o estilista traz o mobiliário inglês do século XVII.
codebase="http://download.macromedia.com/pub/shockwave/cabs/flash/swflash.cab#version=9,0,47,0">value="http://c.brightcove.com/services/viewer/federated_f9/46792788001?isVid=1&publisherID=46412885001" />
Samuel CirnansckDesfiles | São Paulo | Inverno 2010 RTW | Samuel Cirnansck
http://ffw.com.br/desfiles/sao-paulo/inverno-2010-rtw/samuel-cirnansck/detalhes/3

Desfile Maria Bonita Inverno 2010 -



O desfile foi poético e enigmático como a arquiteta Lina, uma vida instigante e rica. Em Salvador, São Paulo(...), ela deixou rastros de sua criação: no espaço e no tempo. A trilha sonora bem pontuada e coerente com o conceito. O cenário no espaço aberto, nada mais sugestivo e poético. “A iluminação natural, com o sol da Lina iluminando o público de convidados, talvez, seria ainda mais audacioso o desfile, a inclusão de outras pessoas, já que todo o manifesto de vida da Lina, traduz numa democracia do “saber”, “ver” e participar”. A figurinista, JOANA PEDRASSOLI SALLES escreveu sua dissertação: AS ROUPAS DE LINA, no trecho a pesquisadora revela,

“No que diz respeito à identidade profissional, Lina era arquiteta de formação, mas sua obra extrapolou em muito os limites da arquitetura para atingir outros domínios disciplinares, tal como o das artes, especialmente o teatro, da filosofia, da antropologia e da literatura. Uma obra que, segundo Olívia de Oliveira, estabeleceu “diálogo sobretudo com as artes, e em especial com determinadas correntes surgidas no país entre as décadas de 1950 e 1960, com artistas como Lygia Clark, Hélio Oiticica, Glauber Rocha, José Celso Martinez e Flávio Império”2. Uma personagem multifacetada que se dedicou com desenvoltura a várias atividades. Entre outras, foi uma arquiteta de prestígio, figurinista e cenógrafa de teatro e cinema, docente, design de móveis e jóias, jornalista, paisagista e artista plástica. Oliveira sintetiza muito bem a atuação de Lina no cenário cultural quando afirma que a “liberdade em confrontar-se a diferentes situações e em assumir diferentes identidades é a própria conquista da condição do interminável”.3 Será que a presença de suas roupas no teatro não tem a ver com esta condição do interminável? Não serão elas mesmas fragmentos desta liberdade expandida?”
Disponível: http://biblioteca.sp.senac.br/LINKS/acervo288641/Joana%20Pedrassoli%20Salles.pdf

Desfile Forum Tufi Duek Inverno 2010



Maneira “nova” segundo o estilista??? Será??? Qual o conceito de novo? As formas já foram para a passarela nos desfiles de Hussein Chalayan e em outros (...), mas parece que Chalayan é uma fonte de pesquisa para nossos estilistas, depois dele somente re-inventando a roda. A trilha sonora super confusa, coitado de Bach!!!



Desfile Alexandre Herchcovitch (fem) Inverno 2010



O desfile foi primor dos desuses parecia saltar aos olhos as tramas de bordados, texturas e composições, roupas imperiais, rígidas e leves pareciam flutuar na passarela. O estilista se supera como criador ao moldar e conceber suas criaturas. Vozes distantes de outras culturas: turcas, ciganas, leste europeu de suas andanças e pesquisas. A alfaiataria impecável, o discurso de uma mulher luxuosa, sensível ao toque das texturas e articulada com o multiculturalismo. O bordado manifesta seus interesses em mapear mundos e construir novos horizontes.

Algumas referências do desfile de AH com a coleção de pré-inverno 2009 da Chanel que foi inspirada na Rússia, os modelitos estavam cheios pêlos, acessórios de cabeça, casacos militares, muito dourado, botas metalizadas e muito luxo. Rússia imperial, de Catherine a grande a Fabergé. o construtivismo, naturalmente, o folclore russo.

CONSTRUÇÃO IMAGÉTICA: Vanessa Sousa

-Primeiramente procuro fazer um breve entendimento dos filmes / exposições, em minha cabeça, lembrando dos pontos que mais me chamaram a atenção, ou a mensagem que este me passou;
-Logo após, procuro imagens que me fazem de alguma maneira referencia a época, espaço em que o filme se passa. Procuro não passar nada tão óbvio nas construções, em alguns momentos procuro me apegar aos detalhes;
-Selecionadas as imagens, começo ver “quem combina com quem”, respeitando a minha cartela de cores, que não é muito colorida, varia entre o preto, branco, sépia, e se for para fazer uma referência as tendências de Moda tem o “nude”, mas lógico que em alguns momentos apareceram alguns tons mais vibrantes.
Eu começo então a sobrepor as imagens, e ver se elas tem uma ligação entre si: tema, cores, época, espaço, enfim se á uma harmonia.
“O curioso caso de Benjamin Button”

Como foi a primeira construção, não ousei muito. Nesta cortei muitas imagens, algumas muito óbvias, outras que remetiam algumas fazes do filme. Selecionei as que eram talvez menos óbvias, mas que tinham uma ligação ao contexto do filme, como o casal de crianças, (representando a infância dos personagens em momentos diferentes), a cadeira de balanço que remete ao primeiro momento do filme, onde Beinjamin é um “jovem idoso”. A idéia é fazer um resumo da história, só que com imagens.

“Cristian Lacroix – Trajes de Cena”
Nesta construção, mesclei imagens de várias revistas. A idéia era passar os volumes constantes da exposição de Lacroix, mas sem esquecer da minha cartela de cores, ainda que tenha algum jogo de nuances procurei tons que não fugissem das cores usadas anteriormente, como os tons pasteis, e este terracota para não ficar tão monótono o resultado final.

Processo de elaboração das Construções:

“Matisse Hoje”

Acredito que esta construção foi um tanto contraditória, já que na exposição de Matisse, a diversidade de cores era infinita. Porém, optei por me apegar a outros detalhes, como a subtileza da nudez, vista em vários momentos na exposição, e as flores, para dar um toque campestre, também visto em “Matisse Hoje”.

Corpo Saudável
Aqui fiz uma brincadeira com a alface sendo um chapéu, e venerado pela moça que o beija. Logo em baixo uma tigela com frutas, em que as belas moças de corpos esculturais brotam da boa alimentação representada pela tigela com frutas dentre outros alimentos.


“Gêmeos – Vertigem”
Aqui não tinha como não levar na brincadeira, acho que foi umas das construções mais legais e difíceis de elaborar. Afinal a exposição era um mix de cores e sentidos. O obstáculo era, conseguir passar um olhar de Moda com a leveza e graçada e ao mesmo tempo com o peso social que a exposição tinha.
Para elaborar esta construção, tive o auxílio da revista “Zupi”, que é a parte do cérebro engraçado, conturbado e irreverente deste rosto sério que está logo em baixo. E até propaganda de cerveja entrou na brincadeira, com este sorriso desconstruido, reciclado da propaganda da Nova Schin, rs


“Seis Propostas para o próximo milênio” – Visibilidade
Quem disse que precisamos apenas dos olhos pra enxergar, sentir, as coisas do Mundo. É essa a minha “visão” do que é visibilidade, e foi melhor apurada pela apresentação das meninas da sala, muito bem executada.
Nesta construção, e nas demais a seguir, o que vai prevalecer, é o duplo sentido da palavra, na minha percepção e também no que consegui absorver de algumas apresentações em sala, e do livro.


- Leveza
Para todos, eu acho, e até mesmo para mim, que sempre associa a imagem de que tudo que é leve é BRANCO, aqui procurei abolir essa idéia com esta imagem colhida de um editorial da L’OFFICIEL, onde o look preto com um ar sombrio, também tem a sua parcela de leveza. E para não perder também o foco querendo abolir o branco, optei pela imagem da pomba branca, sendo apenas uma coadjuvante da idéia mais popular do que é leveza. Para esta criação foram usadas aproximadamente quatro revistas diferentes.


- Multiplicidade
Essa acho que é a construção mais óbvia de todas. Quis transmitir uma pequena parcela do que é multiplicidade para mim, e no ponto de vista do livro.
O preto e o branco, o oriental e o afro descendente, o forte e o magro, as várias facetas do EU. Esta construção ela não é necessariamente para ser entendida, mas sentida.

EDITORIAL - INSPIRADO EM POE - ALUNAS DA FMU - DISICPLINA DE EXECUÇÃO DO EDITORIAL PRODUÇÃO DE MODA



VEJA O ENSAIO COMPLETO:

http://onspeed.com.br/ensaio-poe.html

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Desfile Fause Haten Inverno 2010



Difícil entender, não foi satisfatória as montagens dos looks, quem vai usar?
Desfile melodramático e esquisito. Um melodrama de atrizes decadentes. Helllllllllllllllllllllppppppppppppppppppppppppppp!! Modelagens repedidas dos desfiles passados!!! Mix de estampa sem relação orgânica.

Interesse para estudar as silhuetas repetidas da história da moda.

Desfile Osklen Inverno 2010 - SPFW




Desfile contido, discreto. Acho que faltou " algo", boas modelagens, bem editado entre os elementos cromáticos e matericos, politiamente correto, mas a sensação de vazio. Inspiração: cubismo de Picasso, Braque, Balla - artistas da vanguarda. Uma explosão tridimensional da modelagem, usando a materialidade do feltro, alusão ao artista Beyus e do brasileiro Nelson Leiner.

Muita semelhança entre o desfile de Hussein Chalayan de 2009 que foi inspirado em Louise Bourgeois com relação as formas, silhueta e materialidade.

DESFILE DA CAVALERA - SPFW



Foi o melhor desfile do domingo, um pouco desorganizado na entrada da galeria, pois niguém tinha informação para passar ao público que aguardava ansioso. Contudo, a ideia da ocupação do espaço público pelo desfile, modificando a espacialidade e temporalidade ampliam a percepção do desfile. Ele passou tão rápido que fica o sabor de quero mais. Assim, a moda se posiciona muito além de produtos, vende-se o oonceito, articula melhor o discurso e contagia o público presente.
A edição dos looks deixou a desejar...a ousadia dos passantes da Galeria já é um grande desfile aos olhos no cotidiano.

OPINIÃO DAS PESSOAS...
embed src='http://virgula.uol.com.br/js/flvplayer.swf' width='480' height='362' allowscriptaccess=always flashvars='file=http://virgula.uol.com.br/newadm2/repositorio/videos_arquivos/2009/06/22/4143.flv'/>Virgula.com

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ESTUDOS DO CORPO prof. Jo Souza - 2009.1: GALERIA DE CONSTRUÇÕES IMAGÉTICA DA ALUNA DO PRIMEIRO SEMESTRE : Erica Imanishi Perfeito

Oi Jo, desculpa a demora. Tive uns probleminhas no meu scanner, mas consegui digitalizar a maioria das construções.
Na época das construções estava no primeiro semestre rs
Quanto às elaboração:Procurei usar cores mais chamativas em todas, principalmente o vermelho.O colorido, principalmente o flúor, e os anos 80 voltaram com tudo no verão 2010. Achei interessante colocar essas tendências nas minhas construções.

Erica Imanishi Perfeito
http://www.ladom.com.br/
http://misstulipa.com.br/


Corpo saudável 1: Uma mistura da modelo usando somente acessórios mais futuristas mas com a consciência que para manter um corpo saudável é necessário alimentos naturais e também uma mente feliz (a boca ao lado). Corpo saudável 2: Troquei a comida da modelo (um prato de macarrão) e coloquei frutas. Atrás legumes e verduras.


Matisse 1: Quis fazer referência à pintura através das latas de spray (anúncio Havaianas) com o colorido salpicado da blusa Osklein verão 2010 e a toalha colorida (de outra revista). Matisse 2: Nessa construção procurei usar como referência aos quadros, onde Matisse retratava as pessoas.


Christian Lacroix: Uma modelo caracterizada e com expressão mais dramática. A saia rosa na verdade faz parte de um anúncio de perfume e o cabelo é um vestido coleção verão 2010 André Lima.

- O curioso caso de Benjamin Button: quis mostrar a leveza do balet (balões, sapatilha e a atriz flutuando na água) e o vestido escarlate em destaque (referência ao filme).

ESTUDOS DO CORPO - 2009.1: GALERIA DE CONSTRUÇÕES DE EUNICE MATOS

Professora Jô,

Inicialmente, FELIZ ANO NOVO !!! Desejo-lhe nesse, e nos anos vindouros, muita Saúde, Paz e Realizações !!! E que concretizemos muitos "trabalhos" juntos. rsrs

Bom, para a elaboração das construções, geralmente, sigo e entendo que o melhor é adotar o seguinte procedimento:

1) Inicialmente, deve-se reservar um período para determinada construção, focando o seu tema e todo o material que poderá ser utilizado para sua elaboração;

2) Terminada a fase anterior, devem ser separados todos os materiais que, mesmo eventualmente, possam ser utilizados na construção, já que algumas vezes os materiais mais improváveis são aqueles que melhor se adequarão ao trabalho;

3) Em seguida, temos o trabalho de pesquisa, oportunidade em que TODO o material selecionado e separado deve ser analisado e estudado, considerando o temas, a harmonia das cores, das imagens, bem como sua vinculação e propriedade com o tema proposto;

4) Após a selação do material que será utilizado (nem sempre todo o material separado é utilizado), deve ser feito um estudo de sua composição, o que pode ser uma das fases mais demoradas;

5) Determinada a combinação das imagens, cores e a harmonia, é finalizada a construção;

6) Obs: A construção não deve ser o óbvio, mas o resultado final deve remeter ao tema proposto. Mesmo que não provável à primeira vista, o resultado final leva / remete ao tema proposto;
7) Obs 1: Resultado final da construção pode, e depende, da inspiração específica da pessoa que o executa no dia, já que, geralmente, todo o material selecionado pode ser utilizado no trabalho, e a exclusão de qualquer peça depende da inspiração e tendência momentânea e imediata do executor.
8) Obs 2: A pessoa que irá elaborar uma construção não pode economizar o material que está à sua disposição, já que o conjunto das construções constituirá um "book" ou um portfólio de consulta, futuramente.
Portanto, pessoal, "picotem" suas Vogues, Revistas, etc, não tenham dó. Rsrsrs

Nome : Eunice Matos.
1 Semestre - Matutino.

TEMA: Os Gêmeos - Vertigem - 01 nice


TEMA:visibilidade- Ítalo Calvino nice


TEMA: Rapidez- Ítalo Calvino nice


TEMA: leitura do cap. Leveza - Ítalo Calvino

TEMA: EXPOSIÇÃO DE Henri Matisse

TEMA: Filme - O Curioso caso de Benjamin Button


TEMA: Corpo Saúdavel


A PARTIR DA EXPOSIÇÃO DE Christian Lacroix

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

MUSEUS DE MODA PELO MUNDO

American Textile History Museum, Lowell
Bata Shoe Museum
Black Fashion Museum
Centre de Documentació i Museu Textil
Costume Museum of Canada
Costume Museum, Kyoto
Fan Museum, Greenwich
Fashion & Textile Museum, London
FIDM - Museum and Galleries
Fondation Pierre Bergé Yves Saint Laurente
Fundación Balenciaga, Guetaria
Galeria del Costume, Palazzo Pitti (Florencia)
Indianapolis Museum of Art
Kent State University Museum
Kobe Fashion Museum
Kyoto Costume Institute
Lace Museum, Sunnyvale CA
Manchester Gallery of costume
MET Costume Institute, New York
Mint Museums, Charlotte
Mode Museum
Museo del Calzado, Elda
Museo del traje , Madrid
Museo Textil i d´Indumentaria
Museu Nacional do Traje e da Moda
Museum of Bags & Purses, Amstelveen
Museum of Costume
Museum of Fine Arts, Houston
Museum of London
Musée de la Mode et du Textile
Musée des Tissus et des Arts décoratifs, Lyon
Musée du Chapeau, Chazelles-sur-Lyon
Musée McCord
Musée Suisse de la Mode
Nederlands Textielmuseum, Tilburg
OSU Historic Costume & Textiles Collection
Phoenix Art Museum - Fashion Design Collection
Rhode Island School of Design Museum Collection
Texas Fashion Collection
Textile Museum of Canada, Toronto
Textile Museum, Washington
Victoria and Albert Museum, London

Rio: Desfile Acquastudio inverno 2010 e o desfile Cavendish inverno 2010



segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

SEMINÁRIO DE PRODUÇÃO DE MODA II - UNIFMU ( ANÁLISE DOS DESFILES DE MODA)

SEMINÁRIO DE PRODUÇÃO DE MODA II (Gestão de moda FMU - Profa. Jô Souza)

A experiência sensorial dos desfiles de moda - 2009
Análise de desfile - Christophe Josse, Haute couture, Autumn-Winter 2009/10 pt1

Naila Maia e Pamela Shinemann alunas do curso de Gestão UNIFMU.


Análise de desfile - Christophe Josse, Haute couture, Autumn-Winter 2009/10 pt2

PRODUÇÃO DE MODA II ( SÉTIMO SEMESTRE)

Palavras-chave: maison Martin Margiela moda fashion trend fashion desfile passarela holofotes madonna faculdade de moda cinema o leitor sexulo XIX anos 40 anos 50 pelerine anos 80 moby if things were perfect bagda cafe figurino trem maria - fumaça paranapiacaba museu.
Video da disciplina Produção de Moda II - FMU
Trabalho de pesquisa e produção de moda realizado por Luiz Pita e Dalva de Assis. Orientadora: Jô Souza ( escritora e crítica de moda e cinema )
Categoria: Entretenimento

parte 1


parte 2


parte 3

domingo, 10 de janeiro de 2010

week of art works

MUTO a wall-painted animation by BLU



http://www.blublu.org/ The new short film by Blu: an ambiguous animation painted on public walls. Made in Buenos Aires and in Baden (fantoche) http://www.blublu.org/ http://www.blublu.org/sito/......

sábado, 9 de janeiro de 2010

DIVULGAÇÃO DOS EDITORIAIS EXECUTADOS EM 2009 - NA DISCIPLINA PRODUÇÃO DE MODA I - UNIFMU



VEJA NO LINK ABAIXO:
http://www.belezamundial.com.br/blog/?tag=fmu

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

VIDEO MODA E LITERATURA - 2009



Desfile Performático Moda e Literatura – Looks confeccionados a partir das seguintes obras:
A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kundera
Alice no Pais da Maravilhas - Lewis Carroll
As Horas - Virginia Woolf
Balzac e a Costureirinha Chinesa – Dai Sijie
Hamlet - William Shakespeare
Jules e Jim - Henri-Pierre Roche
Laranja Mecânica - Anthony Burgess
Lolita - Vladimir Nabokov
Morte em Veneza - Thomas Mann
O Amante - Marguerite Duras
O Estrangeiro - Albert Camus
Orgulho e Preconceito - Jane Austen
Orlando - Virgínia Woolf
Pénelope - Marilyn Kaye
Primeiro Amor - Samuel Beckett
Relações Perigosas - Chordelos de Laclos
Um Bonde Chamado Desejo - Tennessee Williams