quarta-feira, 14 de abril de 2010

Moda na política: muito além de combinar terno com sapatos e bolsas

Os políticos passaram a fazer parte do elenco de personagens famosos da nossa sociedade. Eles deixaram de ser conhecidos apenas pelos membros do partido político a que pertencem, chegando às vezes a liderar as manchetes mais por sua imagem que pela repercussão de sua atuação política.


"Estudos indicam que só 7 % da comunicação é assimilada através de conceitos simples, sendo que mais de 90 % é recebida através da comunicação não-verbal", afirma Aiuola Pérez, diretor do centro espanhol Habla y Disfruta Formación y Comunicación. Por isso, dependendo da imagem da pessoa, podemos sentir rejeição ou mostrar interesse pelo que ela está dizendo.

A cada dia surgem mais partidos políticos, o que transforma o ato de atrair eleitores em um desafio. Para conseguir uma maior aceitação, além de cuidar da mensagem, "os políticos devem cuidar de sua imagem: tanto sua forma de falar, de olhar e de movimentar-se como sua forma de vestir".


                                 Dilma Rousseff - estilo PT fashion

 A importância da imagem

Os políticos têm de conseguir votos mediante a palavra, lançando uma mensagem clara do que defendem, mas essa mensagem deve ser acompanhada pela "imagem, que é o elemento que harmoniza, complementa e aperfeiçoa a mensagem política", explicou Yuri Morejón, diretor da Yescom Consulting, à agência Efe.

                             Dilma Rousseff com sua Kelly / Foto: O Globo


Original ou falsa, a bolsa Kelly da ministra Dilma Rousseff tem rendeu pano pra manga entre os fashionistas. Depois que o jornal O Globo divulgou a foto em que ela aparece com sua Hèrmes a tiracolo, a assessoria da ministra declarou que é falsa. A emenda saiu pior que o soneto, já que dá a entender que Dilma compra coisas piratas.

O assessor de comunicação assegura que "em política não basta ser, também é preciso parecer". Para Morejón, "a moda chegou à política para ficar. São aspectos que estão muito ligados, porque a imagem é a forma mais direta de sedução entre o político e o eleitor.

Autêntica Kelly da Hèrmes –
6 mil dólares na mão é apenas um detalhe!

Muitos políticos recorrem a assessores de comunicação, já que nos vinte segundos que aparecem na tela é necessário que "não haja nenhum elemento que distraia ou gere comentários como uma gravata mal colocada ou um vestido chamativo demais", afirma Morejón.

                   Marta Suplicy já despertou até comentários maldosos pelos seus cuidados com a aparência.

A estética passou a ter uma grande relevância nas eleições, já que "há gente que vota por identificação com o político, sua forma de vestir ou se comportar, e a imagem influi nisso", adverte o assessor.

Além disso, Morejón acrescenta que "o objetivo fundamental dos partidos políticos é romper a barreira cada vez maior entre o cidadão e o político, para ganhar sua confiança e para que os eleitores os vejam como pessoas críveis e humanas. Os políticos devem saber se mostrar vitais, frescos e descansados para comunicar melhor. Ou, dito de outra forma, para que as pessoas os conheçam mais, os entendam melhor e os queiram mais".

O papel da mulher
A incursão das mulheres na política é relativamente recente. Ao contrário dos homens, que habitualmente vestem terno e gravata, elas têm uma escolha mais difícil pela frente. Além do terno ou de um vestido, é preciso acrescentar ainda acessórios como brincos, pulseiras, colares e bolsas.

Uma escolha errada de decote, penteado ou de algum acessório transforma algumas políticas em notícia, deixando em segundo plano a mensagem que pretendem transmitir. É o caso de Angela Merkel, que monopolizou as manchetes dos jornais há um par de anos ao ir em uma apresentação com um decote generoso. A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, também foi notícia em diversas ocasiões devido a sua maquiagem chamativa.

Na grande maioria dos países, as roupas femininas foram evoluindo junto com as tendências da moda, embora seja possível encontrar casos em que a mulher adquiriu um aspecto masculino mediante cabelos curtos e calças ou saias abaixo do joelho.
Estas mulheres com um aspecto pouco feminino conseguem que "sua imagem não desvirtue sua mensagem, que é o que verdadeiramente importa", assinala Morejón. Entre este tipo de políticas, encontramos grandes líderes como Margaret Thatcher , Angela Merkel, Condoleezza Rice e Hillary Clinton.

Cores como mensagem
Escolher a roupa adequada vai além de combinar o terno com os sapatos. As cores nos permitem conhecer a atitude do político e inclusive prever o tipo de mensagem que ele deseja passar sem necessidade de escutá-lo, bastando apenas ver a cor de sua gravata, camisa ou terno.

Normalmente, "o partido no poder costuma vestir cores mais conciliadoras e promissoras, como são azul, laranja, bege ou verdes claros, enquanto os da oposição costumam levar cores mais agressivas como o vermelho", explica o especialista em comunicação Aiuola Pérez à Efe.
Cada cor tem um sentido e simboliza algo que, embora passe despercebido pelos nossos olhos, nos afeta indiretamente. Entre as cores que tem maior expressão encontramos o vermelho que "é marca de força, energia, violência e paixão; o verde, pelo contrário, simboliza a esperança, e o amarelo, a alegria. O azul representa a harmonia, a atitude conciliadora e é um dos mais utilizados entre os políticos junto ao vermelho", informa Pérez.
Fonte: http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=23682070

Um comentário:

Consultoria RH disse...

Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

Postar um comentário

Obrigada

um abraço,
jo